Eleições no Bahia: na reta final, candidatos ‘batem bola’ com o Galáticos

por Leonardo Santana em 03 de Setembro de 2013 00:00

Os candidatos à presidência do Esporte Clube Bahia, Rui Cordeiro, Antônio Tillemont e Fernando Schmidt, concederam entrevistas exclusivas ao Galáticos Online e foram abordados com as mesmas perguntas sobre alguns pontos importantes do que pretendem implantar no clube.
 
As eleições no clube acontecem no próximo sábado (7), das 9h às 17h, na Arena Fonte Nova. Confira abaixo o perfil dos presidenciáveis e os esclarecimentos de cada um.
 
Rui Cordeiro
Chapa: Virada Tricolor
Idade: 68 anos
Vice-presidente: Alderico Sena
Ocupação: Empresário e engenheiro
 
Antônio Tillemont
Chapa: Integridade e Transparência
Idade: 53 anos
Vice-presidente: Antônio Garrido
Ocupação:Empresário e radialista
 
Fernando Schmidt
Chapa: Diga sim a um novo Bahia
Idade: 69 anos
Vice-presidente: Valton Pessoa
Ocupação: Político e advogado
 
Quais os primeiros passos que serão tomados ao assumir o clube como presidente?

Rui Cordeiro: Vamos atuar em todas as áreas do clube, porque não se pode somente, numa crise que o clube está deste porte, focar somente na área financeira. O clube não pode parar para resolver as dívidas. Vamos investir em todas as áreas porque conseguimos, ao longo destes últimos anos, desde 2008, tenho projetos para o Bahia, quando fui candidato pela segunda vez.
 
Sou o único candidato que tem projetos a longo prazo e projetos maturados há muito tempo pela minha vivência e história no clube. Então, como tenho este caudal de projetos, propostas e de grupos que vêm estudando o Bahia, eu tenho em todas as áreas do clube projetos e propostas para serem colocadas em prática.
 
Tillemont: Não vou tomar um primeiro passo e sim alguns primeiros passos. Existem algumas coisas que devem funcionar em paralelo. O time de futebol, por exemplo, é uma preocupação grande porque o Bahia é um clube de futebol. O Bahia já foi um clube social, quando tinha a sua sede social na Boca do Rio, mas hoje em dia, já não existe mais. A gente precisa atacar com relação à contratação de reforços imediatamente, fazer com que o time tenha uma recuperação nessa sequência de campeonato. A campanha é razoável, mas de vez em quando há alguns tropeços que não deveriam acontecer.
 
O outro aspecto seria no setor administrativo, onde os problemas maiores estão. Mas os problemas administrativos com a equipe bem coordenada serão mais fáceis de serem resolvidos. Já os problemas do time de futebol têm que serem entregues a uma pessoa que entenda de futebol porque se não o Bahia vai ter uma dificuldade muito grande para contratar logo no início da gestão, porque em 15 a 20 dias se encerram as inscrições para o Campeonato Brasileiro. O mercado está sem opções e é preciso ter competência nessa área. Vamos tentar melhorar o time para ao final do ano fazer uma reformulação geral dentro do departamento de futebol.
 
Schmidt: Não é um só passo, são alguns passos que têm que ser dados, no sentido de não só planejar a vida do clube, mas, sobretudo através do planejamento reduzir despesas, acabar com desperdícios, incrementar receitas através de novas parcerias e revisões de contratos. Tudo isso para fortalecer e consolidar o nosso time de futebol, que é a locomotiva do nosso clube.
 
Quais os principais projetos para 2014?
 
Rui Cordeiro: Seis mensalidades diferentes para os sócios, propostas para a Arena Fonte Nova mudar o perfil do estádio. Estamos propondo nove setores com preços diferenciados, proposta de marketing, implantação da Fundação Esporte Clube Bahia, que vai gerir a divisão de base. Estamos preparados para do primeiro dia efetuarmos o início dos projetos em todas as áreas do clube. Não vamos ficar preso a um setor.

Tilemont: Tudo isso passa primeiro pela recuperação da imagem do clube. O clube hoje tem uma imagem muito desgastada no cenário nacional. Para se desenvolver um bom trabalho de marketing vai ser necessário, primeiro, recuperar a imagem do clube. Hoje, dificilmente, um jogador quer vim para o Bahia, porque há uma ideia de que o Bahia não paga. Preliminarmente é preciso recuperar a imagem do clube para que se possa atacar a área de marketing, um time mais forte no futebol. Vamos fazer com que a imagem do Bahia melhore para que os jogadores queiram vir jogar no Bahia.
 
É necessário que se diga isso para que a torcida saiba que aquele que for eleito vai ter essa dificuldade. O eleito vai ter uma série de problemas para serem resolvidos, mas essa é a função de quem está se propondo a ser presidente deste clube.
 
Schmidt: Para 2013 vamos ter pouco tempo até mesmo para poder buscar reforços para o nosso time. Em 2014 temos um plano estruturante que pega todos os setores da vida do nosso clube, desde sócios, patrimônio, área administrativa e financeira e o departamento de futebol.
 
Quais as mudanças que deve fazer no departamento de futebol? Pretende manter Anderson Barros?
 
Rui Cordeiro: Essas alianças pelo o que eu sei são de pessoas que conheceram o ex-presidente há pouco tempo. Não sei como uma pessoa conhece outra há um mês, dois meses atrás e já vira um amigo e uma pessoa de alta confiança. Acho que confiança não se adquire assim. O Anderson Barros chegou na Bahia conheceu o Marcelo Guimarães Filho e já é amigo de confiança dele. Eu não funcionou assim, comigo para ter amigos de confiança são amigos de longas datas que eu conheço muito bem o perfil, conheço o caráter, então não é de uma hora pra outra que você tem amigos de confiança
 
Tilemont: Com relação à Anderson Barros, eu não conheço o trabalho dele a fundo. Se eleito, preciso conhecer o trabalho dele a fundo para tomar uma posição com relação a ele. Sétimo ou oitavo lugar não é a posição ideal, mas é aceitável para o momento que o clube vive de crise administrativa. Então acho que ele vem fazendo um bom trabalho com toda essa confusão, sendo cobrado por todos os lados. Ele faz um trabalho razoável que eu preciso conhecer mais de perto. É uma injustiça chegar já demitindo o cidadão que eu não conheço nem como ele trabalha. A reformulação do futebol do Bahia tem que ser feita em dezembro. Agora, acho que temos que tentar melhorar, não costumo julgar as pessoas sem ver. Em dezembro vamos tomar uma posição, porque o mercado está muito fechado.
 
Schmidt: Precisamos, em primeiro lugar, manter o nosso time com a tranquilidade que ele precisa para produzir os resultados que são necessários até o fim do ano. Vamos examinar, não só o novo diretor de futebol que vai tomar posse e também o gerente de futebol, como essa coisa vai ficar. Nos parece, em princípio, absolutamente necessária a continuidade do técnico Cristóvão Borges, até pelo bom trabalho que ele vem realizando até agora.
 
Deixe uma mensagem para o torcedor do Bahia.
 
Rui Cordeiro: Uma mensagem de fé e esperança e acredite na democracia, na transparência e no profissionalismo que nós vamos implantar no clube. A partir de 7 de setembro nós vamos ter um outro Bahia, com outra cara.
 
Tillemont: O torcedor do Bahia, principalmente o sócio do clube, acredite que a eleição não está definida. Existem setores que dizem que a eleição está definida. Acho que se esqueceram de combinar com o sócio. O sócio quem vai definir a eleição do clube e no dia 7 de setembro, dia de feriado nacional, dia tranquilo para circular pela cidade. Convoco os torcedores que compareçam logo para retirarem suas cédulas que darão acesso à Arena Fonte Nova no próximo sábado para se evitar o problema de última hora.

Schmidt: O torcedor do Bahia que conquistou a democracia para o Esporte Clube Bahia realizando eleições diretas, inéditas na história do Bahia e do futebol baiano, deve comparecer em maior número possível à Arena Fonte Nova no dia 7 de setembro para eleger aqueles que têm verdadeiramente compromisso com a democracia, a transparência e o profissionalismo, ou seja, dizendo sim ao novo Bahia.

Fotos: Roberto Viana // Bocão News // Galáticos Online


Whatsapp
Mande um Comentário
Os comentários não representam a opinião do portal Galáticos Online. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ver todos

Publicidade

Fotos

Publicidade

Publicidade