“A FBF não é parte de qualquer litígio neste episódio”, diz Ednaldo sobre caso da mala preta

por Leonardo Santana (@leosouzasantana) em 13 de Dezembro de 2013 00:00

O presidente da Federação Bahiana de Futebol, Ednaldo Rodrigues, concedeu uma entrevista exclusiva ao Galáticos Online e destacou o posicionamento da entidade referente ao processo que corre no Tribunal de Justiça da Bahia (TJD-BA), em relação à partida entre Camaçari e Ipitanga, válida pela segunda divisão, que foi paralisada antes do final e causou um verdadeiro imbróglio na competição. O dirigente esclareceu também detalhes referentes ao Campeonato Baiano do próximo ano e da Copa do Nordeste.

No bate-papo, Ednaldo contou ainda sobre investimentos nos clubes do interior e como andam as inspeções nos estádios baianos para a competição estadual da próxima temporada. O presidente da FBF revelou também que a fórmula de disputa do Baianão para 2015 sofrerá alterações.

Bom Senso FC, rebaixamento da Portuguesa, Copa na Bahia e a disputa presidencial na CBF também foram abordados na entrevista.

Confira abaixo o bate-papo completo com Ednaldo Rodrigues, presidente da FBF:

(Fotos: Juarez Matias // Galáticos Online // Bocão News)

Qual o posicionamento da FBF em relação ao caso que envolve o Camaçari, a Catuense e Ipitanga na segunda divisão do Campeonato Baiano?

A Federação não é parte de qualquer litígio neste episódio. A Federação administra a competição de uma forma técnica, com o que acontece dentro de campo. As infrações que porventura venham a acontecer, a Federação encaminha para o Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Bahia, seja de atletas, dirigentes ou torcedores. Em cada partida que a Federação promove e é realizado o jogo, se tiver qualquer situação, por exemplo, expulsão ou alguém adentrou o estádio, tudo vai para o Tribunal que faz o processamento, manda para o procurador, que faz a denúncia. Portanto este episódio que envolveu Ipitanga, Catuense e Camaçari, quando o presidente do Camaçari procurou a Federação Bahiana pra tratar deste assunto, disse que neste assunto tinha algum problema, algum erro e que iria entrar com um protesto junto ao tribunal e que estava preocupado com o andamento do campeonato, eu, de imediato, falei com ele que de forma alguma pensasse no andamento da competição e que fizesse a sua parte e defendesse os seus interesses, porque o que a Federação quer é transparência e lisura e que as competições dela sejam sem ter qualquer tipo de ingredientes que venham macular. Portanto, neste episódio a Federação vai estar à cavalheiro para que o julgamento do tribunal seja isento e dentro do pensamento dos julgadores. Cabe a Federação apenas acatar as determinações que a Justiça determinar.

Então neste caso a Federação Bahiana não irá interferir?

Não temos como interferir neste processo nem em qualquer outro. Os tribunais de Justiça Desportiva são tribunais autônomos onde cada entidade tem a formação dele. Por exemplo, a única participação que a Federação tem no Tribunal de Justiça Desportiva é ter a indicação de dois auditores porque é a lei Pelé que determina e o CBJD determina, o sindicato dos árbitros de futebol, um auditor, a OAB, dois auditores, o Sindicato dos Atletas Profissionais, dois auditores e os clubes profissionais da primeira divisão, dois auditores. Então essa é a composição de qualquer Tribunal de Justiça Desportiva nos estados. Depois disso aí, a Federação não tem nenhuma gerência e nenhum acesso. Até porque os auditores têm total autonomia e não precisa que ninguém possa procurar fazer ou modificar as suas decisões.

Qual o posicionamento do senhor em relação ao equívoco cometido pelo vice-presidente da FBF, Manfredo Lessa, que emitiu um documento errado após solicitação do TJD?

Foi um erro material, até porque eram várias situações com relação às perguntas da parte técnica. Quando ele recebeu tinha um tempo muito curto para devolver e quando devolveu teve o equívoco que foi de imediato retificado, pedindo desculpas. A Federação não tem nenhum comentário a não ser dizer que foi um erro. Dr. Manfredo é uma pessoa que está aqui como assessor jurídico da Federação desde 1994, ele passou por três gestões diferentes, Marcos Andrade, Virgílio Elísio e na nossa administração. Portanto é uma pessoa que todo o corpo da sociedade sabe da sua transparência.

O senhor como presidenteda Federação e como torcedor do futebol baiano o que espera do desfecho deste caso?

Não tenho nenhuma análise. É como se tivesse aqui uma mulher grávida e me perguntasse se vai ser menino ou menina. Não tenho a mínima ideia. Eu respeito as decisões que forem emanadas pelo Tribunal sem nenhum tipo de contestação.

Mudando um pouco de assunto, o que o senhor tem para falar do sorteio da Copa? O que achou do grupo do Brasil e dos jogos que serão realizados na Arena Fonte Nova?

O sorteio como sempre foi no estilo FIFA, bem organizado, uma marca mundial e que a gente pode ratificar que o papa é argentino e Deus é baiano. Porque quando o sorteio da Copa das Confederações foi feito e saiu de uma forma errada terminou dando certo para a Bahia e este foi feito de uma forma que não teve nenhum equívoco e deu mais certo ainda. Os jogos que foram projetados para Salvador são jogos de ponta, jogos que têm uma expectativa de público muito grande. Isso vem deixar entusiasmado todo o nosso estado e principalmente o futebol baiano. É mais uma graça que a gente agradece a Deus por na nossa gestão está acontecendo Copa do Mundo, Arena, Copa das Confederações e a gente espera que seja uma Copa de sucesso e que Salvador saiba receber bem todos como sempre é de seu feitio.

Quais as novidades para o Campeonato Baiano de 2014?

Temos agências que têm feito um trabalho de captação de patrocínios para o campeonato e para as competições. Estas agências estão trabalhando a todo vapor para buscar patrocínio para o campeonato. Já acontecem alguns que aconteceram em 2013 que serão renovados para 2014 e estamos trazendo novos patrocinadores, que serão mais receitas para os dez clubes do interior e a Federação tem feito este trabalho para que a competição seja cada vez mais da aceitação da imprensa e do torcedor.

Como estão os estádios que irão sediar jogos no interior no Baianão 2014? Já passaram por vistorias e estão liberados?

As inspeções nos estádios começam quando terminam o campeonato. Portanto, as inspeções nos estádios para o campeonato de 2014 iniciaram em maio de 2013. Muitas já estão conclusas, inclusive este ano foi o ano em que teve uma rapidez maior, até porque também tinham os atrasos e hoje as prefeituras estão trabalhando de forma sintonizada com os clubes e com a Federação. Portanto, eu diria que a maioria dos estádios já está com todos os laudos técnicos expedidos, inclusive, encaminhados para o Ministério Público e para a CBF. Temos apenas algumas restrições, porque estão sendo feitas obras, no estádio Mariano Santana, em Serrinha, onde sediará o Botafogo, e no estádio Antônio Carneiro, em Alagoinhas, onde sediará a Catuense e o próprio Atlético de Alagoinhas, na segunda divisão. Então são praças que ainda dependem de uma vistoria dos órgãos, porém os demais já estão adequados para as competições.

O senhor teme que os protestos do Bom Senso FC atrapalhem o Campeonato Baiano de 2014?

Não atinge o Campeonato Baiano até porque a primeira fase do campeonato começa no dia 8 de janeiro e vai até o dia 5 de fevereiro. Portanto, todos os atletas que estão no campeonato estadual da Bahia já tiveram toda aquela parte de férias, até muito mais de 30 dias, pré-temporada. Então não atinge.

Qual o balanço da temporada de 2013 no Futebol Baiano?

O balanço é positivo no que diz respeito a todas as competições. Campeonato da primeira divisão, da segunda divisão, Copa Governador, infantil, juvenil, campeonato feminino, então são várias competições que a Federação organiza e coordena e tantas outras que a Federação dá apoio logístico, como Copa 2 de Julho, Copas regionais feitas no interior do estado. Portanto diria que foi um ano positivo, a gente não se dar por satisfeitos porque temos que avançar mais, temos que melhorar cada vez mais o futebol baiano, mas foram passos importantes, o Vitória, por exemplo estar perseguindo uma vaga para a Libertadores da América porque com certeza vai trabalhar em 2014 em cima do que não foi possível. O Bahia que passou por toda aquela situação dentro da competição e se manteve e pode até estar numa Sul-Americana, a depender do resultado do imbróglio da Portuguesa. Portanto, diria que foi um ano em que a gente agradece a todos os nossos colaboradores e, enfim, se não foi um ano que almejávamos, vamos trabalhar para que 2014 seja ainda melhor.

O que o senhor pensa a respeito da situação da Portuguesa e este problema no STJD?

As competições têm que ser regulamentadas, tem que ser respeitadas e têm que ser cumpridos os regulamentos. Portanto, não se pode ter o preconceito também de dizer que é porque um clube de menor porte está saindo, poderia ser o inverso também. As leis e os regulamentos têm que ser sempre respeitados e cabe a cada um, a cada momento, trabalhar com mais profissionalismo para que situações dessas não tragam prejuízos incalculáveis para uma agremiação como é a Portuguesa. É uma questão técnica, não é uma questão de infração, de violação, por exemplo, de falsidade ideológica, mala branca ou mala preta. É uma questão técnica, em que o atleta não cumpriu o que a lei determina. Portanto, não vai ter nenhum revés neste sentido. Não entendo que, por conta disso, deva haver virada de mesa e sou totalmente contra isso.

Há pretensão em alterar a fórmula de disputa do Campeonato Baiano de 2015?

Independentemente que tenha redução de jogos, o que cabe é que a Federação já cumpriu com esse campeonato de 2014 aquilo que a lei determina que seja exatamente a temporada de dois anos com o mesmo regulamento. Portanto, estaremos livres para fazer uma competição diferente e, se possível, uma competição em que todas as equipes do futebol baiano possam jogar, sem estar separando por fase. Vamos ter que primeiro verificar qual será o calendário, qual a quantidade de datas que serão disponibilizadas para os estaduais e a Federação, sem modéstia, consegue fazer porque nossa área, além de ser técnica e administrativa, a gente procura cada vez mais estar adequado a todas estas mudanças que existem no futebol.

O senhor acredita que a ausência de Bahia e Vitória na primeira fase do Campeonato Baiano enfraquece a competição?

A competição ela tem duas situações.  A Federação procurou fazer do limão, limonada. Porque a primeira fase, desfaio qualquer outro estadual, que possa estar oferecendo aos clubes que estão jogando sem Bahia e Vitória as condições que podem ter. O clube melhor colocado na primeira fase vai para a Copa do Nordeste, o segundo melhor vai para a Copa do Brasil e isso valoriza a competição e faz com que nestes dois anos os clubes possam se soltar e não fiquem na dependência de Bahia e Vitória. Entendo que é bem melhor que a competição seja com todos jogando, dentro de uma adequação, desde que cumpram aquilo que for designado pela CBF como pré-temporada e férias.

Quem o senhor irá apoiar na disputa presidencial da CBF?

A partir do momento que tiverem os candidatos lançados a Federação se posicionará dentro daquilo que for o melhor no conjunto o futebol do nosso estado. Portanto, neste momento ainda há apenas especulações. Pretendo primeiro ver todo o desfecho. Temos que respeitar o presidente da CBF, que disse que ainda não é o momento de se falar em eleições, já que ele ainda tem um trabalho a ser concluído. Portanto, vou aguardar o posicionamento de Marin para não ser prematuro, dar uma opinião e aquilo não acontecer. Vou aguardar os candidatos estarem postulados de uma forma oficial e que as propostas de cada um possam ser analisadas e que possam atingir o conjunto de anseios que o futebol do nosso estado necessita.

O que senhor acha da especulação em torno de Alexi Portela, que pode assumir um cargo na CBF?

Temos um vice-presidente por indicação da FBF, o Marcos Ferreira, que desde 2008 ele é o vice-presidente da região Nordeste. E se vier a ser Alexi Portela, com qualquer que seja a chapa, nós só vamos bater palmas porque é mais um trabalho que a gente tem certeza que será de competência.

Pra finalizar deixe uma mensagem para o torcedor baiano:

Gostaria neste encerramento de ano quando cumprimos todas as etapas do futebol, que em 2014 possa ser um ano de bastantes realizações para todos. Os clubes vindo cada vez mais com competência técnica para que possa ter o prestígio do torcedor acompanhando para que não haja violência. Espero que não tenha nenhuma violência nos estádios ou em qualquer um ambiente para que possa ser um ano de paz e que essa paz possa traduzir em mais alegrias. E que venha a conquista da Copa do Mundo de 2014 aqui no Brasil, que será muito importante para o fortalecimento do futebol brasileiro como um todo e, principalmente, o futebol do nosso estado. Aproveito para todos vocês da imprensa, indistintamente, aos nossos filiados, aos clubes da primeira divisão, da segunda divisão, as ligas municipais, aos árbitros, aos nossos diretores, assessores, colaboradores, que seja um ano de bastante paz, saúde e que continuaremos fazendo o trabalho que nos é destinado com o apoio de todos vocês. Portanto, deixamos uma mensagem de paz e muita alegria em 2014.

Whatsapp
Mande um Comentário
Os comentários não representam a opinião do portal Galáticos Online. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ver todos

Publicidade

Fotos

Publicidade

Publicidade