Buscar

Jailson Reis explica irregularidades de Paulo Carneiro e comenta possibilidade de afastamento

Autor(a): Redação Galáticos Online (Twitter - @galaticosonline) em 07 de Maio de 2021 21:00
Foto: Reprodução

Jailson Reis Vitória (@VitoriaJailson) | TwitterO presidente do Conselho Fiscal do Vitória, Jailson Reis, concedeu entrevista ao repórter Anderson Matos, no programa Nação Rubro-Negra, na rádio Itapoan FM. Na oportunidade, ele comentou sobre os embates com o presidente do clube, Paulo Carneiro.

Reis explicou as irregularidades do mandatário, como a não entrega das demonstrações financeiras referentes ao ano de 2020 dentro do prazo, que se encerrou em 30 de abril. "O Conselho Diretor tem que disponibilizar toda a documentação ao Conselho Fiscal, independente do tempo. Precisa criar facilidade, tem que ter transparência. Os contratos são todos pulverizados no Vitória, não foi dado acesso a nenhum membro do conselho fiscal. Ele entregou em dezembro uma planilha de orçamento sem nenhuma documentação. Na revisão do orçamento, ele cometeu a mesma falha, e de forma mais grave, pois alterou o documento. Temos que fazer um trabalho de formiguinha para conseguir as informações. A gestão de contratos é o mais complexo no clube", disse. 

Jailson também rebateu o comunicado oficial divulgado por PC, que se defende e alega que não descumpriu o prazo. "Ele se refere a um prazo que a auditoria solicitou para ampliar. Ele não apresentou nenhum documento do pedido da auditoria, não apresentou os reais motivos para o adiamento. Temos certeza que o problema da auditoria é falta de informação, também. Desde agosto do ano passado as informações bancárias não estão disponíveis. Os balanços não estavam no site, foram publicar um dia antes da reunião do Conselho".

O presidente do Conselho Fiscal reconheceu a situação financeira complicada herdada das gestões anteriores, mas lembrou que Paulo Carneiro foi eleito com a justificativa de que era a pessoa ideal para resolvê-los. "O Vitória passa por uma situação financeira difícil. Isso nos remete às gestões anteriores, de Ivã de Almeida e Ricardo David. Se naquela época o conselho tivesse feito o correto, hoje não estaríamos assim. Mas, o presidente, quando assume, tem a responsabilidade de resolver os problemas, ele assume os ônus e os bônus".

Sobre a possibilidade de afastamento do presidente, ele afirmou que isso não está em discussão no momento. "O afastamento do presidente é algo a ser tratado dentro do Conselho Deliberativo, após o parecer do Conselho Fiscal. O Conselho Fiscal não materializou nada sobre isso, ainda. Tem uma série de situações a serem esclarecidas". 

Já sobre o tema renúncia do mandatário, preferiu desconversar. "Não quero entrar nessa questão, pois o ato de renúncia é unilateral, é questão pessoal do presidente".

Por fim, Jailson explicou porque voltou atrás na decisão de renunciar ao cargo de presidente do Conselho Fiscal e garantiu que continuará defendendo o clube contra as irregularidades de Paulo Carneiro. "Pensei em renunciar, diante de tantas coisas que acontecem no Vitória. Nos causa tristeza. São pessoas do bem tentando ajudar o Vitória e são acusados de tentar politizar. Recebi mensagens e e-mails de pessoas de grandes histórias no clube para que eu continuasse, diante de tantos problemas. Por isso resolvi ficar. Meus embates com ele é que não admito que ele faça do Vitória uma extensão de empresa ou da casa dele. Enquanto eu estiver lá, não vai acontecer isso".


Whatsapp
Mande um Comentário
Os comentários não representam a opinião do portal Galáticos Online. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Mais noticias


Ver todos

Publicidade

Fotos

Publicidade

Publicidade